Estrutura Portuária

 

Porto de Lapa de Pombas, Almograve

No extremo do areal da Praia das Furnas, protegido a Leste por falésias, depois de sairmos a foz do Rio Mira em direção a Sul, sobressai a Pedra da Atalaia, separada de terra. Deste local até às praias do Brejo Largo, da Foz dos Ouriços e do Almograve ou Praia Grande, domina uma costa de arribas.

Praia do Almograve ou Praia Grande

Praia do Almograve ou Praia Grande

Praia do Almograve ou Praia Grande

Pedra dos Corvos

Pedra dos Corvos

O porto de Lapa de Pombas situa-se no final de uma estrada de terra batida que segue paralela à costa, entre dunas de areia e vegetação rala do lado de terra e rochas na falésia do mar.

Dunas do Almograve. Caminho para o porto de Lapa de Pombas

Foi numa abertura natural que forma uma angra virada a Oeste, muito salpicada de rochedos, uns bastante altos e outros submersos nas marés, que o porto nasceu.

Enseada do porto de Lapa de Pombas

Sem molhes artificiais, o porto é limitado a Norte pelas Pedras Amarelas e a Sul pela Proa do Barco, pela Ponta da Barradeira e pelo Lombo do Burro.

Pedras Amarelas

Proa do Barco e Ponta da Barradeira

O trajeto de saída e entrada das embarcações é demarcado, a Sul, pela Furna e pelo Guincho e, a Norte, por uma rocha comprida, com orientação Este-Oeste, chamada o Conselho.

Furna e Guincho

Furna e Guincho

Furna e Guincho

Guincho e Conselho: entrada no porto de Lapa de Pombas

Conselho e Pedras Amarelas

Armazéns dos pescadores

A partir de um miradouro sobranceiro à angra desce-se para um terreiro onde estão instalados os armazéns dos pescadores: quatro conjuntos de barracas com paredes e soalho em madeira, telhados em alumínio e de duas águas (exceto a do João Pescador, protegida com chapas onduladas de zinco, a mais antiga).

Armazéns/apoios de pesca

Um dos armazéns é usado pelos pescadores e companheiros  como espaço de convívio

Rampa e amarrações

A descida para o mar é feita por uma rampa de cimento – o varadouro das embarcações –, com cerca de sete metros de largura e cinquenta de comprimento. Os consertos e os trabalhos de beneficiação dos barcos, desde que de pouca exigência, são realizados nesta rampa. Aqui os barcos ficam resguardados em períodos de mar agitado. No Inverno raramente saem ao mar.

Embarcações varadas na rampa

Junto à atual rampa ainda se podem ver vestígios da antiga

Na rampa existem argolas, onde se prendem os cabos que servem as amarrações e que seguram os barcos

No Verão, os pescadores deixam os barcos no pequeno espelho de água, nas amarrações, pois consideram-no um local seguro quando o mar está calmo.

Cabos de amarração

As embarcações são puxadas para a rampa com a ajuda de carros ou tratores, mas há o projeto de instalação de um guincho. Os pescadores recorrem a artefactos, que chamam escadas ou escadinhas para não ferirem o costado e a quilha. Feitas em madeira, são colocadas por baixo dos barcos à medida que deslizam para a água, ou desta para o lugar onde ficam arrumados.

Quando os barcos ficam na água, os pescadores fazem a travessia entre estes e a rampa com a ajuda de jangadas feitas com placas de esferovite, reforçadas com tábuas e unidas por cordas de nylon, com cerca de um metro de lado e com um recorte simulando uma proa para melhor cortarem a água.
Os consertos e os trabalhos de beneficiação dos barcos, desde que de pouca exigência, são realizados na rampa.

Embarcações

Em finais de 2015, serviam-se do porto quatro embarcações, lanchas de boca aberta e com motor de popa, construídas em fibra de vidro, todas elas com menos de seis metros de comprimento: Padre Borralho, Alga Marinha, Mestre Júlio e Brasileiro.

Pesca e apanha de marisco

Em toda a área costeira envolvente ao porto de Lapa de Pombas faz-se a apanha do ouriço e do percebe, bem como a pesca desportiva com cana e linha com anzol: pesca de fundo, pesca de boia e pesca ao sentir.

Os pescadores da pesca comercial utilizam redes fundeadas, de enredar e de emalhar, palangres com anzóis de tamanho diverso e consoante as espécies que pretendem capturar, e armadilhas (covos) para a captura do polvo. O pescado é vendido nas lotas de Vila Nova de Milfontes, a Norte, e da Entrada da Barca, a Sul.