Geologia | Litoral de Odemira

Paleogeografia

É geralmente aceite que a região litoral do SW de Portugal esteve coberta pelo mar até ao final do Período Miocénico (5.3 Ma BP). Já no Pliocénico (5.3 – 2.5 Ma BP) ocorreram movimentos tectónicos verticais que geraram blocos elevados, sujeitos à erosão continental, e fossos tectónicos onde os sedimentos marinhos foram conservados. Segundo Feio (1984), no Plistocénico médio (1.8 – 0.8 Ma BP) terá havido importante transgressão marinha que gerou a plataforma de abrasão onde se instalou a Plataforma Litoral. A regressão do mar que se seguiu, com vários impulsos transgressivos e regressivos, deixou uma sucessão de praias levantadas e extensas áreas da plataforma marinha, ricas em areias, em posição aérea.

Zbyszewski (1984) admite a existência de seis níveis de praias levantadas, escalonadas entre os 95 m e 2 m. A altitude de alguns destes níveis pode estar diferenciada devido a movimentos tectónicos que afectaram a Plataforma. A cada um destes níveis terá correspondido uma transgressão marinha a que se seguiu uma regressão que expôs em posição aérea as areias da plataforma marinha. Estas areias expostas funcionaram como fontes alimentadoras da mobilização eólica geradora de dunas no continente. São reconhecidas seis fases de geração de dunas (Pereira e Angelucci, 2004): duas no Holocénico; três no Plistocénico superior (29 Ka, 71 Ka e 57 Ka BP) e outra no Plistocénico Médio (191 Ka BP).

Figura 1 – Esquema explicativos da génese das praias levantadas e das dunas.

Na figura estão representados esquematicamente os regimes marinhos costeiros que estão na base da génese das praias levantadas e das dunas. As praias levantadas são cascalhentas e foram resultantes da erosão marinha de arribas (algumas poderão ter tido origem em movimentos tectónicos verticais), em regime transgressivo do mar, podendo também ter havido contribuição de material transportado por rios a desaguarem no mar (na figura à esquerda). As dunas resultam de transporte pelo vento de areias acumuladas na plataforma marinha e colocadas em situação aérea devido ao recuo do mar em regime regressivo (na figura à direita).