Geosítios | Litoral de Odemira

Porto da Lapa das Pombas | Longueira/Almograve

QNa área envolvente do porto da Lapa das Pombas identificam-se os seguintes sítios ilustrativos da geologia local.

 

 

Figura 1 – Localização dos sítios com interesse geológico na região da Lapa das Pombas.

 

Ponto 1- Vista geral da costa, mostrando arribas instaladas sobre xistos e quartzitos da Formação da Brejeira. As arribas estão muito recortadas pela erosão marinha: os pequenos esporões resultam das bancadas de quartzitos, mais resistentes à erosão, e as reentrâncias instalam-se em xistos, por sua vez menos resistentes à erosão. Notar charneira de dobra (a) e a plataforma inclinada para o mar, com fina cobertura de areia eólica (b).

 

Ponto 2 – Praia levantada do nível 10-15 m. Na parte inferior da fotografia domina o areão de praia, constituído principalmente por quartzo e alguns clastos de xisto e de grauvaque. Na parte superior, grandes calhaus de quartzito e de grauvaque, muito arredondados por efeito da erosão. Ao meio da foto, areia amarela mais recente, transportada pelo vento.

 

Ponto 3 – Bancadas de quartzito, dobradas em anticlinal, sobre as quais repousa em discordância o nível de praia levantada de 10-15 m (a).

 

Ponto 4 – Arenitos ferruginosos do Eolianito da Lapa das Pombas. Notar as estruturas botrioidais na parte inferior da fotografia, resultantes da meteorização dos arenitos.

Ponto 5 – Arenitos ferruginosos do Eolianito de Lapa das Pombas, evidenciando forte concentração de hidróxidos de ferro e manganês.

 

Ponto 6 – Arenito ferruginoso do Eolianito de Lapa das Pombas, no qual se pode observar: a-laminação sedimentar do tipo da que ocorre nas dunas; b- estruturas em dobras aparentes, resultantes da acumulação de hidróxidos de ferro proveniente da dissolução aquosa dos arenitos.

Ponto 6a – Pormenor das dobras aparentes notando-se a acumulação de hidróxidos de Fe e Mn nos planos das laminações sedimentares.

 

 

Ponto 8 – Fonte instalada na arriba. A água das chuvas infiltra-se nas areias do Eolianito de Lapa das Pombas, porosas (no topo da fotografia), e desce até ao contacto com o soco paleozóico, mais impermeável, criando-se assim pequeno aquífero. A água acaba por escorrer por gravidade sendo explorada na pequena fonte.

Ponto 9 – Vista panorâmica do porto de Lapa das Pombas. A pequena enseada que funciona como porto está limitada a norte e a sul por pequenos esporões formados por rochas da Formação da Brejeira.

 

Ponto 10 – Dobras em anticlinal, bem evidenciadas por uma bancada de quartzito, na Formação da Brejeira. Símbolos: a-flancos das dobras; b- charneiras das dobras; c-eixos das dobras.

 

Local 10 a – Pormenor dos níveis mais finos, com xistos e siltitos finamente estratificados, que alternam com as bancadas de quartzitos na Formação da Brejeira.