Arqueologia | Litoral de Odemira

Seixos

A pedra foi uma das matérias-primas mais utilizada pelas populações pré-históricas no litoral alentejano. Além de abundante, tem propriedades mecânicas que permitem uma ampla utilização: em bruto ou afeiçoada, no fabrico de instrumentos para martelar, triturar e partir, ou, se talhada em lascas, para obter gumes afilados e aguçados para cortar, serrar, raspar, perfurar. Obtiam-se assim equipamentos para pesca, apanha de marisco, caça, abate de árvores e trabalho sobre madeira, e outras atividades diversas.

Seleccionavam-se as pedras mais adequadas para produzir os diversos tipos de instrumentos desejados. Como o sílex, o melhor material para talhar, é aqui inexistente, as populações pré-históricas necessitaram de se adaptar ao talhe das pedras disponíveis na região: grauvaque, quartzito, quartzo e cristal de rocha.

De norte a sul do litoral de Odemira, existem dezenas sítios nas costa rochosa onde se encontram aglomerados destes antigos artefactos de pedra. Foram assentamentos, há cerca de dez mil anos, de comunidades que se deslocavam à costa para explorar os recursos que o mar propiciava: pesca, marisco, a própria pedra. Estes sítios enquadram-se com a cultura Mirense (por se encontrar no litoral sudoeste em torno da foz do Mira), e, entre os artefactos que aí se encontram, o enigmático «machado mirense» é o mais representativo.

Em muitas enseadas são visíveis grandes acumulações de calhaus rolados. Estes calhaus rolados, ou rebolos, como se designam localmente, são pedras que se soltaram das falésias e foram sendo arredondados pelo entrechoque entre si causado pelas ondas do mar. Entre os rebolos, selecionavam-se os mais resistentes e assim se produziram equipamentos destinados à exploração dos recursos marinhos, designadamente peças para a apanha de marisco, chumbadas e pesos de rede para a pesca.

Alguns dos artefactos que se utilizaram milhares de anos atrás, foram sendo reinventados pelas comunidades piscatórias de Odemira. Muitos dos pesos que servem para afundar as artes de pesca actuais são ainda obtidos a partir do talhe expedito de calhaus rolados recolhidos nas enseadas dos portos de abrigo.