População Ribeirinha

População Ribeirinha

O moinho de maré uma realidade atlântica, de origem europeia, datada da Idade Média. Os moinhos de maré utilizam o efeito das marés, mais especificamente, a diferença entre o praia-mar e o baixa-mar, para colocar em funcionamento o aparelho de moagem.

Turismo e Balnearismo

Turismo e Balnearismo

O habitat sempre fora difícil nesta costa sem portos, atacada por piratas, fustigada pelos ventos salgados e sem boas terras de cultivo. Desde o século XIX, que o turismo ia conferindo ao litoral uma certa importância que até aí não tivera.

Moinhos de maré

Moinhos de maré

O moinho de maré uma realidade atlântica, de origem europeia, datada da Idade Média. Os moinhos de maré utilizam o efeito das marés, mais especificamente, a diferença entre o praia-mar e o baixa-mar, para colocar em funcionamento o aparelho de moagem.

Narrativas lendárias

Narrativas lendárias

Portugal, pela sua situação geográfica e pelo seu passado histórico da época dos descobrimentos, está intimamente ligado ao imaginário marítimo. É fácil notar a importância real deste tema na cultura nacional cujo perfume é de maresia e cujo sabor é de sal. Os portugueses sentem o mar.

Comércio Marítimo

Comércio Marítimo

O rio Mira sofreu ao longo dos últimos 150 anos o impacto das transformações económicas e técnicas verificadas no mundo contemporâneo. No entanto, não podemos deixar de sublinhar a sua importância enquanto via comercial imprescindível no contexto regional, que conseguiu sobreviver ao embate da construção do caminho-de-ferro, apenas sucumbindo perante a a crescente e moderna via rodoviária.

Naufrágios

Naufrágios

A morte no mar é um dos principais temores das gentes do mar e das suas famílias, pois o desaparecimento do corpo está associado, desde tempos longínquos, à perdição eterna. A religiosidade é muito forte nas comunidades piscatórias, onde o perigo de morte é enfrentado em cada ida ao mar, por isso, a impossibilidade de receber a extrema-unção, e de ter o corpo numa sepultura, onde as famílias pudessem rezar pela sua alma, é sentido com grande apreensão pelos elementos destas populações.

Piratas e Corsários

Piratas e Corsários

Ao longo dos séculos a costa portuguesa foi fustigada pelo corso magrebino, sediado, fundamentalmente mas não exclusivamente, em Argel, cidade incluída no Império Otomano.A pirataria – acto em que um navio propositadamente armado ataca e pilha barcos mercantes e populações ribeirinhas – era considerada uma actividade legítima e eram os reis que outorgavam a carta de corso.